MP pede que TCU determine afastamento de Ricardo Salles e manutenção do orçamento

Na solicitação, o subprocurador-geral menciona uma série de acusações contra a gestão do governo em relação ao Meio Ambiente

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente Jair Bolsonaro na Cúpula dos Líderes sobre o Clima Foto: Reprodução/Instagram

Subprocurador-geral também quer que tribunal apure viabilidade de metas feitas por Bolsonaro na Cúpula do Clima

O Ministério Público junto ao TCU pediu nesta sexta-feira que o tribunal determine, em decisão cautelar, que o governo afaste Ricardo Salles do cargo de ministro do Meio Ambiente e mantenha o orçamento da pasta.

Na solicitação, o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado menciona uma série de acusações contra a gestão do governo em relação ao Meio Ambiente e diz que caberia a Salles a  implementação da política ambiental no Brasil.

"Considerando que o referido ministro insiste em atuar de forma contrária ao nosso texto constitucional, entendo que não há como mantê-lo no cargo", diz o subprocurador-geral.

Furtado também pede que o TCU apure se são viáveis as promessas feitas por Jair Bolsonaro na Cúpula de Líderes sobre o Clima, em que o presidente anunciou metas como neutralizar até 2050 a emissão de gases de efeito estufa e dobrar o orçamento de órgãos de fiscalização ambiental.

O subprocurador afirma que, pouco depois do discurso no presidente no evento, o governo federal cortou em R$ 240 milhões o orçamento do ministério, o que caracterizaria como "estapafúrdia" a diferença entre o discurso e a ação do governo.

"Questiono como pode em um dia o governo defender que irá reduzir o desmatamento ilegal e as emissões de gases poluentes; e no outro dia, cortar o orçamento do meio ambiente. Estamos vivendo de aparência?", pergunta. 

(Por Guilherme Amado e Naomi Matsui)

https://epoca.globo.com/guilherme-amado/980080-mp-pede-que-tcu-determine-afastamento-de-ricardo-salles-manutencao-do-orcamento-do-meio-ambiente-24985433