Fortaleza: Centro de Excelência pode receber treinos do elenco em julho

A mudança não seria definitiva, mas para ampliar a preparação às vésperas das partidas

Legenda: A grama do Centro de Excelência foi renovada para os treinos do clube - Foto: Camila Lima / SVM 

Escrito por Alexandre Mota 

Com protocolo rígido, clube trabalha para ajustar a estrutura do Pici e melhorar a preparação às vésperas dos jogos

A diretoria do Fortaleza estuda a transferência do elenco principal para o Centro de Excelência no mês de julho. A medida faz parte de um planejamento estratégico do clube, dentro das medidas de protocolo de saúde, e visa ter um treinamento final antes dos jogos na estrutura - ainda sem data definida.

Desde o início da pandemia de Covid-19, as atividades presenciais ocorrem no CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú. O técnico Rogério Ceni está ciente do plano de troca e pode ser beneficiado pela qualidade do gramado da sede no Pici, projeto para ser nos moldes do disponível na Arena Castelão.

"A gente pretende e 'está na nossa cabeça' fazer alguns treinos no Pici com todos os cuidados, o mesmo isolamento. O CT tem mais área, mas o Pici também pode receber a nossa estrutura. Teria de deslocar, tem toda uma estrutura de apoio que estão bem alocadas no CT, até academia ao ar livre, mas o Pici, já tenho conversado para levar os treinos", afirmou o presidente Marcelo Paz em entrevista ao Debate Jogada na terça-feira (23).

A mudança não seria definitiva, mas para ampliar a preparação às vésperas das partidas. Além disso, poderia deixar o CT livre para os atletas das categorias de base. 

O movimento é necessário porque, nos regimes de segurança estabelecidos, profissionais não podem ocupar um espaço de treino junto dos demais setores do time. Assim, quando o calendário estiver definido, a base tricolor poderia ter atividades no CT.

A coluna apurou, no entanto, que a transição ao PIci depende da conclusão de parte da estrutura, como refeitórios e cozinha. Um novo conjunto de ações de segurança deve ser montado, com adaptações no Centro de Excelência e até mudança no fluxo de trabalho dos funcionários, uma vez que o espaço funciona como sede administrativa do clube. 

Vale ressaltar que as obras no Pici estão 60% concluídas, com gasto de R$ 4 milhões. O Fortaleza também investiu R$ 300 mil na aquisição de equipamentos para academia confeccionados sob medida.

Plano de execução da obra

1. Núcleo de futebol

Prioridade máxima

Entrega: início de abril

Envolve: campos, vestiários, academia, fisioterapia e nutrição

Status: 90%

Finalização: pintura da estrutura e instalação do piso da academia

2. Recuperação de jogadores

Prioridade alta

Entrega: início de maio

Envolve: piscina coberta, quatro tanques de crioterapia e duas banheiras de hidromassagem  

Status: 60%

Finalização: confecção da piscina

3. Estrutura interna

Prioridade alta

Entrega: dezembro de 2020

Envolve: sala de imprensa, ampliação do refeitório e reforma do alojamento Ribamar Bezerra

Status: 10%

Finalização: estudo da engenharia para começo das obras

Plano de 2021

Pavimentação completa do Centro de Excelência

Readequação do tamanho das salas de reunião

Construção do espaço do CIFEC, equipe de análise de desempenho do clube

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/opiniao/colunistas/alexandre-mota/fortaleza-centro-de-excelencia-pode-receber-treinos-do-elenco-em-julho-1.2959033