SP bate novo recorde de mortes por Covid-19 com 334 casos em 24 horas

A taxa de ocupação das UTIs no estado é de 68,6% e, na Grande São Paulo, de 74,1%.

SP registra 334 mortes por coronavírus em 24 horas (Imagem ilustração via google)

SP bate novo recorde de mortes por Covid-19 com 334 casos em 24 horas; estado tem mais de 9.500 mortos e 150 mil contaminados

Taxa de ocupação das UTIs no estado é de 68,6% e de 74,1% na Grande SP.

Por SP1 e G1 SP — São Paulo

O números de mortes pelo coronavírus atingiu 9.522 pessoas no estado de São Paulo nesta terça-feira (9). Nas últimas 24 horas, o número de óbitos novos foi de 334, o maior já registrado desde o início da pandemia. Já o número de casos da doença chegam a 150.138, um aumento de 5.545 infectados, de acordo com a Secretaria Estadual da Saúde.

Os números não significam, necessariamente, que as infecções e mortes aconteceram de um dia para o outro, porque o balanço estadual considera a data em que os diagnósticos foram contabilizados no sistema.

Para o secretário da Saúde, José Henrique Germann, apesar do aumento esperado ocorrido nas terças-feiras, ocorreu um aumento de mortes maior que o esperado. "Nós temos nas terças-feiras um número maior de casos devido a notificação, mas especificamente hoje, mesmo assim, nós tivemos um aumento de 3,5% com relação a média. Então nós continuamos na mesma média de aumento, que é de 3%, 3,5% no número de óbitos. Nós estamos passando por um crescimento de baixa velocidade. É muito duro e difícil falar isso em relação aos óbitos, principalmente pra nós", declarou.

Os pacientes internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) são 4.481 e 8.073 em enfermarias de casos confirmados e suspeitos. O total de pacientes recuperados é de 28.787.

A taxa de ocupação das UTIs no estado é de 68,6% e, na Grande São Paulo, de 74,1%.

O secretário Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, Marco Vinholi, justificou que apesar da alta de casos, o estado teve uma participação menor no total de contaminados no Brasil.

"Mesmo neste momento de retomada das atividades em São Paulo, a quarentena segue e a população de modo geral tem mantido os níveis que registrados antes desse momento. Portanto, é fundamental dizer que mesmo com o aumento da testagem, com esse processo de retomada, São Paulo segue diminuindo sua participação no número de casos em relação ao Brasil. Nós éramos 68% no início da pandemia, fomos caindo e hoje atingimos um número inferior a 20,5% dos casos do país", argumentou.

Já a taxa de isolamento nesta segunda (8) foi de 48% na capital paulista e 47% no estado de São Paulo.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, o isolamento social possibilita que 90 mil vidas sejam poupadas e 1,5 milhão de pessoas deixem de ser contaminadas até o fim de junho.

Reabertura capital paulista

Comércio de rua deve reabrir na quarta-feira (10)

A Prefeitura de São Paulo vai autorizar o funcionamento do comércio de rua a reabrir a partir desta quarta-feira (10).

O anúncio deve ser feito ainda nesta tarde pelo prefeito Bruno Covas (PSDB). A reabertura dos shoppings será permitida a partir de quinta-feira (11). A liberação também será concedida às imobiliárias da cidade.

Resumo das liberações:

Comércio de rua e imobiliárias poderão abrir a partir desta quarta (10) pelo período de 4h e fora do horário de pico

Shoppings poderão reabrir a partir de quinta e terão que escolher entre duas opções de funcionamento 6h às 10h ou das 16h às 20h, com público limitado a 20%

Todos os estabelecimentos deverão seguir regras de higiene e segurança

Os protocolos com os setores serão assinados nesta terça (9) e quarta (10). Os estabelecimentos deverão seguir normas de higiene e segurança e respeitar os horários de funcionamento restritos estabelecidos pela gestão municipal.

Além de cuidados com saúde, como distanciamento social e uso de álcool gel, as lojas vão ter um limite de horário de funcionamento de quatro horas. O comerciante poderá escolher o horário de abertura, desde que seja fora do horário de pico.

Os shoppings vão reabrir a partir de quinta-feira (11) também com limite de funcionamento. Ou abrem de 6h às 10h ou das 16h às 20h. O horário da manhã é uma reivindicação dos shoppings populares. Os shoppings maiores devem funcionar no segundo horário.

Haverá limite também de pessoas. Nenhum deles poderá receber mais do que 20% da capacidade de público.

Flexibilização da quarentena

Os setores fazem parte de uma lista de cinco que foram autorizados a funcionar, com restrições, na fase 2-Laranja da quarentena, que está em vigor em algumas regiões do estado, incluindo a capital, desde 1° de junho.

A Prefeitura de São Paulo optou por liberar o funcionamento dos setores contemplados apenas após análise de protocolos de saúde. Na semana passada, Covas autorizou o funcionamento de escritórios e concessionárias.

Nessas propostas, os setores informam como vão retomar o funcionamento garantindo a segurança de funcionários e clientes. Nesta segunda-feira (8), o prefeito Bruno Covas disse que a administração municipal já recebeu 96 protocolos.

Pelo plano apresentado pelo governo de São Paulo, as regiões do estado são classificadas da seguinte forma:

Alerta máximo (vermelho)

Controle (laranja)

Flexibilização (amarelo)

Abertura parcial (verde)

Normal controlado (azul)

De acordo com a fase cada região pode liberar a abertura de diferentes setores da economia fechados pela quarentena.

A classificação de cada região leva em consideração uma série de critérios, entre eles, taxa de ocupação de UTIs e total de leitos a cada 100 mil habitantes.

De acordo com o governo, uma região só pode passar a um maior relaxamento após 14 dias. A reavaliação só ocorrerá em período menor caso haja informações relevantes que exijam, excepcionalmente, uma revisão.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/06/09/estado-de-sp-tem-mais-de-9500-mortos-por-covid-19-e-150-mil-pessoas-contaminadas.ghtml