Ex-presidiário barbalhense lesionado a tiros morre no hospital Santo Antônio

Ex-presidiário já respondia a procedimentos, e domingo foi alvejado a tiros

Barbalhense não resistiu aos tiros e faleceu no Hospital Santo Antônio

No último domingo de agosto 2020, o silêncio da madrugada foi rompido por estampidos de arma de fogo, o ex-presidiário barbalhense, Edgledson Rodrigues dos Santos, (popular Gleissim) 38 anos de idade, que residia na Rua Airton Landim situada no Bairro Santo Antonio, foi lesionado a tiros a altura da nuca e socorrido para o Hospital Santo Antônio de Barbalha. 

Desde então ele estava aos cuidados médicos daquela unidade de saúde, pela gravidade dos ferimentos não resistiu e veio a óbito no inicio da tarde desta terça-feira 01/09. 

Quando aconteceu o crime violento, a polícia foi informada da ocorrência, trabalhou na tentativa de encontrar pistas sobre a autoria da tentativa de assassinato, não houve êxito nas buscas de alguém suspeito.

Vida pregressa

Segundo os arquivos policiais, a vida pregressa de Edgledson Rodrigues dos Santos, (popular Gleissim), tinha vários problemas, no ano de 2007 testemunha de um assassinato em Barbalha, como também respondia a procedimentos por tráfico de drogas.

Por Mandado de Busca e Apreensão no dia 17 de março de 2011 Gleissim foi preso em casa, na Rua José Coelho Pereira no Bairro Bela Vista, na ocasião a polícia encontrou 106 gramas de cocaína e um pote de bicarbonato usado para desdobrar a droga.    

Depois, no dia 8 de junho de 2012, Edgledson Rodrigues dos Santos (Gleissim) e o seu comparsa de nome Alex dos Santos Costa, que contava com 19 anos de idade, de moto tentaram romper uma barreira da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) na Avenida Leão Sampaio no período da festa de Santo Antônio, quando então, desobedecendo ao sinal de parada causou um acidente atropelando um Cabo da PM residente em Fortaleza, que, que estava atuando na barreira, na ocasião os policiais encontraram bastante drogas que eles estavam levando para vender no Parque da Cidade em Barbalha.

Silva Neto – Plantão Policial