Sérgio Rodrigues não garante volta do Cruzeiro ao Mineirão em 2021: "Vamos fazer cálculo"

O Cruzeiro tem acordo para jogar no Independência os jogos restantes na Série B do Campeonato Brasileiro

Estádio Mineirão - Cruzeiro — Foto: Divulgação / Twitter Mineirão

Sérgio Rodrigues não garante volta do Cruzeiro ao Mineirão em 2021: "Vamos fazer cálculo"

Presidente afirma que, sem público, time só voltará a mandar jogos no Gigante da Pampulha se a proposta feita pelo Independência for coberta

Por Gabriel Duarte, Guilherme Macedo e Lohanna Lima — Belo Horizonte

O Cruzeiro tem acordo para jogar no Independência os jogos restantes na Série B do Campeonato Brasileiro. Já atuou por lá no empate com o CSA e jogará, também, contra Cuiabá, Oeste, Operário e Náutico. E o retorno para o Mineirão, tradicional casa cruzeirense, para a temporada de 2021, ano do centenário do clube, ainda não está garantido.

Em entrevista ao podcast GE, o presidente Sérgio Santos Rodrigues explicou que vários fatores serão analisados antes que qualquer decisão sobre o mando de campo seja tomada. Todos eles têm ligação com o aspecto financeiro, que inclusive foi o motivo da mudança para o Independência nesta reta final de Série B.

No cenário atual, de portões fechados por conta da pandemia do novo coronavírus, o Cruzeiro só voltará ao Mineirão caso a administradora cubra a proposta feita pelo Independência, que, segundo o clube celeste, foi de R$ 67.368,45 para realização de cinco partidas. Sérgio Rodrigues ainda lembra que o Cruzeiro terá de disputar cinco jogos com portões fechados por conta de uma punição do STJD.

- O Cruzeiro ainda tem que pagar as punições do dia do rebaixamento. Se não tiver torcida, o Cruzeiro só vai para o Mineirão se o Mineirão cobrir a proposta financeira do Independência. Se não cobrir, enquanto não tiver torcida, será o Independência. E a hora que tiver a torcida, temos que ver a proporção, para ver se vale a pena.

Os países que já admitiram a presença do público no estádio ainda não permitem lotação máxima, por conta de aglomeração. Quando a situação for resolvida aqui no Brasil, o Cruzeiro voltará ao Mineirão, segundo Sérgio Rodrigues.

"Agora, quando tiver tudo liberado, sem dúvida alguma é Mineirão, porque, com o tamanho do nosso sócio, o que a gente pretende, é Mineirão. Agora, se for público reduzido e valer ainda a pena a questão de economia, nós vamos jogar no Independência. Vamos fazer cálculo."

Desde que o Mineirão foi reinaugurado com reformas para a Copa do Mundo, em 2013, o Cruzeiro acumulava débitos com a Minas Arena, administradora do estádio. Este ano, já sob a gestão de Sérgio Rodrigues, o clube conseguiu homologar acordo para pagamento da dívida e retirada de uma ação judicial de cobrança, que era movida pela Minas Arena.

De acordo com Sérgio Rodrigues, o acordo faz com que a dívida já não conste mais no balanço financeiro do clube. O presidente cita que a utilização ou não do estádio em 2021 também dependerá de formas de exploração do espaço, e que a saída pode ser a celebração de contratos curtos, como o que foi feito com a administradora do Independência para a reta final da Série B.

- A dívida já sai do balanço e vamos dar cumprimento a ele. Estamos discutindo o acordo para ver se vai jogar ou não. Ano que vem, estamos em aberto com os dois (Mineirão e Independência), temos que ver a questão do público e ver as questões, entre aspas, benefícios e formas de explorar o estádio, que estava na pauta de discutir com o Mineirão. Então temos que ver a questão de público e, talvez, fazer contratos de menor prazo até que a situação se resolva.

Desde a reinauguração dos dois estádios após reformas para a Copa do Mundo de 2014, o Independência só foi a casa do Cruzeiro em 2012, quando o Mineirão ainda estava fechado. Depois, o clube retornou ao Gigante da Pampulha, enquanto o estádio da Região Leste de Belo Horizonte vinha sendo utilizado pelo América e pelo Atlético. O rival alvinegro voltou a mandar jogos no Mineirão em 2020.

https://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/noticia/sergio-rodrigues-nao-garante-volta-do-cruzeiro-ao-mineirao-em-2021-vamos-fazer-calculo.ghtml