Em duelo de viradas, expulsões e acusação de racismo, Flamengo supera o Bahia

Com a vitória, o Flamengo chegou aos 48 pontos e pulou para segunda colocação na competição

Bruno Henrique celebra gol do Flamengo com companheiros (Foto: Nayra Halm / Agência Estado)

Gabigol é expulso no início, visitantes saem de 2 a 0 para 3 a 2 em 15 minutos, mas Pedro entra em ação e faz a diferença para o time de Ceni, que agora é vice-líder. Baianos ficam na beira do Z-4

Um duelo eletrizante, com viradas, expulsões, variantes táticas interessantes e até caso de polícia. Flamengo e Bahia protagonizaram um jogaço no Maracanã na noite deste domingo, pela 26ª rodada do Brasileirão. O 4 a 3 com gol de Vitinho já aos 45 minutos do segundo tempo foi construído após grande atuação de Bruno Henrique, cartão vermelho para Gabigol, Gilberto novamente como carrasco pelo Tricolor baiano e Pedro decisivo com apenas 20 minutos em campo. Fora do futebol, um episódio lamentável: Gérson acusou o colombiano Ramírez de racismo com a frase "cala a boca, negro".

Na tabela

Com a vitória, o Flamengo chegou aos 48 pontos e pulou para segunda colocação na competição. De quebra, segue dependendo apenas de si para buscar o título. A equipe de Rogério Ceni tem um jogo a menos que o São Paulo, líder com 53, e um confronto direto pela última rodada, no Morumbi. O último compromisso de 2020 está marcado para sábado, às 19h (de Brasília), no Castelão, contra o Fortaleza.

Já o Bahia segue em crise. Agora, são cinco derrotas consecutivas para o time de Mano Menezes, que está em 16º com 28 pontos. Os baianos estão fora da zona de rebaixamento por levarem vantagem sobre o Vasco no número de vitórias: 8 a 7. Domingo, a equipe recebe o Inter, às 16h, na Fonte Nova, pela 27ª rodada.

Primeiro tempo

O domingo no Maracanã foi eletrizante desde o apito inicial. O Flamengo não precisou de muito tempo para abrir o placar, com Bruno Henrique, em belo chute de fora da área e dava mostras de que teria facilidade para chegar ao triunfo. Gabigol ainda desperdiçou boa chance antes dos dez minutos, mas acabou sendo protagonista por um cartão vermelho. O árbitro Flávio Rodrigues identificou xingamento e expulsou o atacante, que se revoltou. A vantagem numérica fez o Bahia se mandar para o ataque, pressionar e dar espaços bem utilizados pelos donos da casa. Assim, Bruno Henrique recebeu de Gérson para ficar livre dentro da área e servir Isla: 2 a 0. O camisa 27 ainda teve tempo para desperdiçar chance clara antes do intervalo após passe de Arrascaeta.

Segundo tempo

O Bahia voltou para o segundo tempo a mil por hora, e o Flamengo não conseguiu manter a organização defensiva. O resultado? Três gols em oito minutos, dos 5 aos 13, e virada no placar. O colombiano Índio Ramírez, que depois foi acusado de racismo por Gérson, fez o primeiro, e Gilberto novamente ocupou o papel de carrasco com um lindo chute de fora da área e um gol de cabeça em escanteio. Virada dos visitantes.

Neste momento, as duas equipes já estavam com os nervos à flor da pele, com faltas duras e discussões. O Bahia conseguia administrar o resultado, forçava Diego Alves a fazer grandes defesas, até que Rogério Ceni colocou Pedro no jogo. O centroavante foi decisivo para a virada com um gol de peito em cruzamento de Filipe Luís e passe genial de letra para Vitinho tocar na saída de Douglas. Vira-vira, vitória e o São Paulo mais perto na tabela.

https://globoesporte.globo.com/rj/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/20-12-2020/flamengo-bahia.ghtml