Icasa pede R$ 52 milhões contra CBF na Justiça

Verdão já ganhou em duas instâncias pelo caso e pediu recentemente execução de valores corrigidos de R$ 52 milhões

Legenda: O Icasa tem passado por dificuldades financeiras e tem um montante importante em dívidas Foto: ANTONIO RODRIGUES

Escrito por Redação

Verdão ganhou duas instâncias em caso de não acesso para a Série A de 2014 e cobrava R$ 18 milhões por danos materiais e R$ 3 milhões de multa

O Icasa trava uma luta com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pelo prejuízo pelo não acesso à Série A em 2013, mesmo com a entidade admitindo que o Figueirense, 4º colocado, escalou um jogador irregular na época. 

O Verdão já ganhou em duas instâncias pelo caso e pediu recentemente execução de valores corrigidos de R$ 52 milhões de indenização para a CBF, na Justiça. Um acordo não está descartado.

A cobrança milionária, que tem juros e correções ao longo do tempo, foi publicada inicialmente pelo site “Esporte News Mundo”.

O time de Juazeiro do Norte terminou a Série B de 2013 na 5ª colocação – Palmeiras, Chapecoense, Sport e Figueirense conseguiram acesso. No início de 2014, o Icasa denunciou irregularidade na escalação do volante Luan, então em ação pelo Figueirense.

O time de Santa Catarina, que terminou com um ponto a mais na classificação, escalou o atleta, na segunda rodada da Série B. Mas Luan ainda tinha contrato com o cearense Clube Atlético Metropolitano, na segunda rodada. A CBF depois reconheceu o erro de sistema, mas nada fez para reparar o erro – o Icasa foi ao STJD, sem conseguir sucesso também.

Na ação inicial, vencida em 2018, o Icasa pede R$ 18 milhões por danos materiais – valores aproximados de cotas de TV que o clube deixou de receber – e mais R$ 3 milhões de danos morais. Com juros e as correções, este valor passa de R$ 50 milhões.

O clube tem cerca de R$ 15 milhões em valores de causas de dívidas trabalhistas e pretende usar o dinheiro da indenização para quitá-los.  

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/jogada/icasa-pede-r-52-milhoes-contra-cbf-na-justica-1.3024019