Goiás faz golaço no fim e bate o Palmeiras, devastado por desfalques

O Goiás, apesar da vitória, segue seu martírio na lanterna

Miguel Figueira acerta chute de fora da área aos 47 minutos do segundo tempo contra adversário desfalcado de 21 jogadores

O Palmeiras foi para o jogo com 21 desfalques, perdeu seu goleador, Luiz Adriano, lesionado ainda no primeiro tempo e também viu Mayke ser expulso antes do intervalo. Não bastasse tamanha dificuldade, foi punido com um gol (um golaço) aos 47 minutos do segundo tempo, marcado por Miguel Figueira, e perdeu por 1 a 0 para o Goiás na noite deste sábado, em Goiânia. O Esmeraldino, lanterna do Brasileirão, não vencia havia 11 partidas. Foi o primeiro jogo do time goiano depois da demissão do técnico Enderson Moreira.

Na tabela

Com a derrota, o Palmeiras se manteve com 34 pontos e perdeu a chance de entrar no G-4 do Brasileirão. Foi dormir em quinto e pode perder mais duas posições neste domingo. O Goiás, apesar da vitória, segue seu martírio na lanterna: agora tem 15 pontos, nove atrás do Atlético-GO, o primeiro fora da zona de rebaixamento. 

Próximos jogos

O Palmeiras agora se volta para a Libertadores da América. Na quarta-feira, faz o jogo de ida das oitavas de final contra o Delfín no Equador. Pelo Brasileirão, o próximo compromisso é no sábado, às 17h, contra o Athletico, em casa. O Goiás joga na quinta. Às 20h, visita o Fortaleza.

Primeiro tempo

O tanto de problemas de lado a lado teve reflexo no primeiro tempo do jogo na Serrinha. As equipes tiveram enorme dificuldade para criar, contrariando a impressão inicial da partida: no primeiro lance, com menos de um minuto, o Palmeiras quase abriu o placar com Luiz Adriano – Tadeu defendeu dois chutes sequenciais do atacante, que depois deixaria o campo, lesionado. Marcelinho também teve uma oportunidade para os visitantes, mas chutou para fora. O Goiás, embora tenha equilibrado o jogo em posse de bola, agrediu menos que o oponente. Só foi ter uma chance clara de gol aos 40 minutos, após arrancada de Keko e chute por cima de Shaylon. O jogo tinha esquentado pouco antes, com a expulsão de Mayke, decidida em revisão do VAR, por entrada no tornozelo de Taylon.

Segundo tempo

O segundo tempo começou equilibrado. O Palmeiras conseguiu acertar a marcação (Lucas Esteves e Gabriel Menino entraram ainda no primeiro tempo para reforçar o sistema defensivo depois da expulsão de Mayke) e se viu obrigado a ser mais tímido nas ações ofensivas. E o Goiás seguiu pouco criativo. Mesmo assim, conseguiu chegar. Fernandão, aos 14, cabeceou com perigo. O problema para o time da casa foi a incapacidade de sufocar o Palmeiras. Nem a entrada de Rafael Moura, fixando o time com dois centroavantes, foi capaz de criar uma pressão que maltratasse a defesa adversária. A equipe visitante ainda conseguiu dar alguns sustos em raras escapulidas ao ataque – como em chute de fora da área de Patrick de Paula, bem defendido por Tadeu. Mas a maior surpresa viria aos 47 minutos. Miguel Figueira acertou um chutaço de fora da área, acertou o ângulo de Weverton e deu a vitória ao Goiás.

Goiás x Palmeiras, Patrick de Paula (Foto: MARCOS SOUZA/NASCIMENTOSOUZAPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Lesão de um lado, lesão de outro

Aos 22 minutos do primeiro tempo, Luiz Adriano travou em uma corrida. Era uma lesão muscular. Um minuto depois, no contra-ataque do Goiás, o mesmo aconteceu com Douglas Baggio. Os dois precisaram ser substituídos – e o Brasileirão cobrava o preço da forte sequência de jogos.

Expulso pelo VAR

Mayke, lateral do Palmeiras, havia recebido o cartão amarelo depois de acertar Taylon, do Goiás. Mas o lance foi revisto no VAR, e o cartão mudou de cor. A expulsão revoltou o técnico Abel Ferreira, que argumentou que seu jogador não teve intenção de acertar o adversário. Porém, segundo Paulo César de Oliveira, da Central do Apito, o vermelho foi bem aplicado.

Desfigurado

O Palmeiras foi a campo sem 21 jogadores. A maioria ficou fora por estar se recuperando de Covid-19: Jailson, Vinicius Silvestre, Matías Viña, Alan Empereur, Benjamín Kuscevic, Danilo, Gustavo Scarpa, Raphael Veiga, Quiñonez, Gabriel Silva, Willian, Breno Lopes, Aníbal, Rony, Gabriel Veron, Marino Hinestroza e Pedro Acacio. Além deles, ficaram fora o meia Zé Rafael, suspenso, e três lesionados: Felipe Melo, Wesley e Luan Silva. Primeira vitória, primeira derrota

O Goiás volta a vencer depois de jejum de 11 partidas. Seu último triunfo havia sido em 13 de setembro, contra o Inter. Já o Palmeiras perde a primeira com Abel Ferreira, após quatro vitórias e um empate nos cinco primeiros jogos com o treinador português.

https://globoesporte.globo.com/go/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/21-11-2020/goias-palmeiras.ghtml