Santos e São Paulo empatam clássico com novato artilheiro, apagão e "minimíssil"

São Paulo continua invicto em clássicos na temporada. O Santos continua sem vencê-los.

Gol do São Paulo! Gabriel Sara recebe o passe na área e pega de primeira para marcar, aos 37' do 1T

Em bom jogo na Vila Belmiro, Tricolor fica à frente no placar duas vezes com Gabriel Sara, mas Peixe busca resultado após entrada do artilheiro Marinho (agora com sete gols no Brasileirão)

udo igual no San-São

Santos e São Paulo ficaram no empate por 2 a 2 na noite deste sábado, na Vila Belmiro, num ótimo clássico que teve de tudo: falhas dos dois lados, artilharia do novato Gabriel Sara, um apagão de 17 minutos no estádio e o "minimíssil" decisivo de Marinho, que decretou o resultado. Os rivais perdem a chance de encostar no líder Internacional, que joga neste domingo, mas mostraram qualidades que tornaram o jogo bastante atrativo. O Tricolor ficou duas vezes à frente no placar, e o Peixe buscou em ambas. O São Paulo continua invicto em clássicos na temporada. O Santos continua sem vencê-los. 

Santos 2 x 2 São Paulo pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro 2020

Como fica?

O empate leva o Santos aos 15 pontos, ainda rondando o G-4 do Brasileirão, mas sem entrar nele. O São Paulo vai a 18 e perde a chance de igualar a pontuação do Inter, que pode abrir vantagem maior.

Marinho, sempre ele!

Poupado no início do jogo por causa da sequência que o Santos vem enfrentando, Marinho entrou só na metade da segunda etapa e resolveu logo de cara, num "minimíssil" de muito longe, que teve a colaboração de Tiago Volpi (o 

Novato artilheiro

Titular recente do São Paulo, o meia vinha sendo contestado pela torcida, mas defendido por Fernando Diniz. No clássico, ele deixou de ser coadjuvante e fez os dois gols do Tricolor: um após pressão em cima de Luan Peres que resultou em roubada de bola, e outro invadindo a área e recebendo passe perfeito de Igor Vinícius. O garoto ganha fôlego!

Primeiro tempo

Gabriel Sara foi o nome do jogo no início, com dois gols que representaram bem a ideia de jogo do São Paulo: a pressão na saída do Santos, responsável pelo erro de Luan Peres que originou o primeiro gol, e a liberdade para Sara invadir a área, bem desenhada no segundo gol, quando recebeu belo passe de Igor Vinícius e finalizou sozinho, entre os marcadores santistas. Entre os dois gols, o Peixe tentou sair da pressão alta, mas faltou qualidade no passe porque Diego Pituca foi deslocado para a lateral esquerda – e o Santos teve um enorme vazio no meio de campo. As melhores chances vieram na bola parada, e numa delas Madson empatou o jogo, de cabeça, subindo mais do que Hernanes após cobrança de escanteio. O Tricolor aproveitou bem as indecisões do lado esquerdo da defesa santista e criou mais: foram 11 finalizações, contra cinco do rival.

Segundo tempo

O Santos devolveu a pressão que havia sofrido no início da primeira etapa e quase marcou com Sánchez, logo no minuto inicial, após roubada de bola de Soteldo. A equipe de Cuca melhorou com as entradas dos garotos Wagner Leonardo na lateral e Lucas Lourenço no meio de campo. Com maior controle, o Peixe passou a empurrar o rival para seu campo de defesa, mas o ímpeto foi esfriado por um apagão de 17 minutos na Vila Belmiro. Com a luz de volta e a entrada de Marinho, o Santos chegou ao empate num "minimíssil" do atacante, em cobrança de falta de muito longe que contou com falha de Tiago Volpi.

Apagão na Vila

No segundo tempo, a queda de energia na Vila Belmiro paralisou o jogo por 17 minutos. A pausa proporcionou cenas e sons bem detalhados sobre as orientações dos técnicos. Vale assistir à "palestra" de Fernando Diniz ao zagueiro Diego Costa.

Próximos jogos

Santos e São Paulo voltam a disputar a Libertadores neste meio de semana. O Peixe recebe o Olímpia nesta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela terceira rodada do Grupo G. O Tricolor recebe o River Plate na quinta, às 19h, no Morumbi, pela terceira rodada do Grupo D.

https://globoesporte.globo.com/sp/santos-e-regiao/futebol/brasileirao-serie-a/jogo/12-09-2020/santos-sao-paulo.ghtml