Estado e Município de Barbalha pactuam mais leitos de hospitais para Covid-19

Pactuação entre estado e município alivia a situação no atendimento dos dois hospitais de Barbalha

Foto Ilustração via google 

Os Hospitais Santo Antônio e São Vicente de Paulo de Barbalha que atuando no atendimento a Covid-19 em nível local e regional, estão com suas alas de enfermaria e UTI lotadas por pacientes acometidos pela doença, é grande o desafio da medicina para salvar vida, o número de pacientes chegando aos dois hospitais está em escala ascendente e não tem vaga, com isso é grande a preocupação das autoridades municipais, médicas e sanitárias.

O prefeito municipal de Barbalha, Dr. Guilherme Saraiva, com todo o seu conhecimento médico e ciente do avanço da infecção Covid-19, diante da precária situação recorreu ao governo do estado em busca de uma saída para acrescer o número de atendimentos nos dois hospitais, o objetivo do prefeito teve resultado foi positivo junto ao estado, atencioso aos pleitos barbalhenses, o governador Camilo Santana, pela saúde pactuou com a municipalidade barbalhense mais leitos para atendimento a Covid-19.

Pela pactuação, para o Hospital Santo Antônio 20 leitos de enfermaria para adulto e 10 leitos de UTI pediátrica para pacientes de Barbalha, vale ressaltar que desde junho de 2020 aquele hospital funciona com 10 leitos de UTI adulto para Covid-19 em nível Região do Cariri.

No mesmo pleito, o governador Camilo Santana atendendo o prefeito de Barbalha, Dr. Guilherme Saraiva, pactuou para o Hospital São Vicente de Paulo, 20 leitos de enfermaria adulto, 10 leitos pediátricos para atendimento em nível Barbalha, e 5 leitos de UTI adulto para atendimento em nível regional. 

Esses números de leitos abertos de enfermaria e UTI para atendimento a paciente acometido de Covid, vem aliviar a precária situação dos dois hospitais de Barbalha, que estão 24h/dia monitorando suas alas lotadas de pacientes infectados pelo coronavírus. 

Sintomas da Covid-19, todo cuidado é pouco:

A COVID-19 afeta diferentes pessoas de diferentes maneiras. A maioria das pessoas infectadas apresentará sintomas leves a moderados da doença e não precisarão ser hospitalizadas.

Sintomas mais comuns:

febre

tosse seca

cansaço

Sintomas menos comuns:

dores e desconfortos

dor de garganta

diarreia

conjuntivite

dor de cabeça

perda de paladar ou olfato

erupção cutânea na pele ou descoloração dos dedos das mãos ou dos pés

Sintomas graves:

dificuldade de respirar ou falta de ar

dor ou pressão no peito

perda de fala ou movimento

Procure atendimento médico imediato se tiver sintomas graves. Sempre ligue antes de ir ao médico ou posto de saúde, clínicas ou hospitais.

Pessoas saudáveis que apresentarem os sintomas leves devem acompanhar seus sintomas em casa.

Em média, os sintomas aparecem após 5 ou 6 dias depois de ser infectado com o vírus. Porém, isso pode levar até 14 dias.

Cuide de sua saúde, colaboração: diariodocariri.com.br

Silva Neto