Ceará está em condição de aceleração de transmissão do coronavírus, diz MS

Governador Camilo Santana prorroga decreto de isolamento social até 20 de abril

Ceará entre os estados que podem avançar a transmissão do coronavírus (Crédito seconic-rio)

Realizando análises dos dados transmitidos diariamente pelas secretarias de saúde dos estados e do Distrito Federal, o Ministério da Saúde do Brasil chega à conclusão de que quatro estados brasileiros e o Distrito Federal podem estar na fase de transição para aceleração descontrolada da covid 19, infecção presente em todo território nacional. 

Segundo o relato dos técnicos do Ministério da Saúde, preocupante a situação do Distrito Federal, São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Amazonas, isso levando em consideração o Coeficiente de Incidência nacional de 4,3 casos por 100.000 habitantes.

Ainda segundo o relatório do MS nos municípios e o Distrito Federal, os Coeficientes de Incidência são:

Distrito Federal - 13,2/100 mil

São Paulo - 9,7/100 mil

Ceará - 6,8/100 mil

Rio de Janeiro - 6,2/100 mil

Amazonas - 6,2/100 mil

Para a análise, o Ministério da Saúde divide a pandemia em quatro fases epidêmicas: epidemia localizada, aceleração descontrolada, desaceleração e controle.

Governo do Ceará

Preocupado com os dados diários da covid 19, o Governador do Estado do Ceará, Camilo Santana, tem mantido forte linha de atuação para barrar o avanço de coronavírus no estado, neste sábado dia (4), o mandatário estadual assinou a prorrogação de decreto, pondo isolamento social no Estado até o dia 20 de abril, a medida impõe fechamento de serviços não essenciais para evitar aglomerações populares. 

Camilo fez um apelo às empresas locais para que mantenham os empregos durante a crise econômica causada pelo novo coronavírus no Estado e no mundo. Ele destacou a articulação de um grupo de empresários para que não haja demissões no Ceará, além da colaboração dos prefeitos.

O governador defendeu manter o senso de unidade e solidariedade para que o Estado possa passar pela crise econômica. "Precisamos estar juntos, todos com um objetivo de proteger a vida das pessoas. Quero até fazer um apelo às empresas cearenses que evitem a demissão. Esse é um momento para sermos solidários", disse Camilo. "Há políticas do Governo Federal para evitar demissões de empregados com carteira assinada em todo o Brasil", completou.

Silva Neto